Quem sou eu

No Orkut, uma falida rede social, uma das frases mais postadas era "quem se define, se limita". Geralmente, era usado um tipo peculiar de escrita, variando entre letras maiúsculas e minúsculas, além da substituição de "qu" por "k", por exemplo. Mesmo piegas, sempre gostei desse quase-ditado. Certa vez, numa das curvas da vida, recebi, de uma grande amiga, um e-mail que guardo até hoje. A situação em que tudo aconteceu não vem ao caso, mas, baseado naquilo que li, pedi a ela que me ajudasse nessa "definição". O resultado está logo abaixo. Eis quem eu sou, por Giuliane Cibele Alves*.


"Um sujeito vindo da região metropolitana de Piracanjuba, com “jeitão” de quem veio de Paris, mas com um coração de quem chegou de uma missão na África: esse é Matheus Ribeiro.

Multifuncional, ele não teme desafios. Reúne uma dose de jornalista, outra de assessor e um pouco de escritor. Quando é repórter, fica apaixonado; quase sempre se torna editor. Um eterno locutor, estando no ar ou não, também é diagramador quando preciso. Defeito ou qualidade, o fato é que o perfeccionismo o acompanha em tudo.

Mas este é o profissional. Poucas pessoas o conhecem na vida íntima, como eu, das idas e vindas de festas ou das confidências de uma amizade. Matheus também é amigo, irmão, filho e neto. Revela seu bom humor quando ganha confiança, mas o perde facilmente quando esta é quebrada. Oito ou oitenta.

Esse rapaz também causa polêmica por onde passa, sempre opiniões fortes, incisivas e bem argumentadas. Seja pela sua competência ou por achar que é o protagonista da música “Apenas um rapaz latino americano”, do seu ídolo Belchior, ele sempre tem um comentário a fazer.

Apesar da discrepância entre sua idade e seu currículo, esse menino conquista e já conquistou muita gente. Não é à toa que nunca ninguém lhe atribui apenas duas décadas de existência. Com sua barba, um paletó bem cortado e a formalidade característica em ambientes necessários, ele se torna quase um trintão, e cabelo branco já tem.

Sempre com boas intenções, Matheus é um rapaz que sabe argumentar, discutir, conversar, brincar e rir, além de apreciar boa comida, boa música e, sem dúvidas, boa bebida. Para aqueles que o julgam careta ou precoce, recomendo a revisão desses conceitos. A idade que está no RG pouco diz sobre nossas habilidades e comportamentos.

Por fim, Matheus é a mistura da vontade de ser com aquilo que já é, se transformando naquele que cada um quer enxergar."


* Giuliane é estudante de Jornalismo na UFG, assessora de imprensa e dona da risada mais gratificante que conheço.